A La Gloire Du Grand Architecte De L'Univers
Rito Escocês Retificado

OS GRAUS DO RER

OS GRAUS DO RER

O Regime Escocês Retificado é um sistema de reintegração da alma humana ao seu sentido original, bem como sua finalidade dentro da criação. Este sistema esta dividido em duas grandes área (o rito e o regime) e em “etapas” ou “ordens”:
O Rito Escocês Retificado é a “Maçonaria Retificada” moderna, por assim dizer. Ela é composta por 4 graus simbólicos, sendo o último separado dos demais. São eles: Aprendiz Franco-Maçom, Companheiro Franco-Maçom, Mestre Franco-Maçom e Mestre Escocês de Santo André. Estes graus são um pequeno sistema em si mesmo. Sua finalidade é a restituição do homem até o plano das virtudes e da individualidade-alma. Após, existem os graus de Escudeiro Noviço e Cavaleiro Benfeitor da Cidade Santa, um espaço destinado à mais alta restituição do espírito humano; estes graus, por si, não são maçonaria, mas a utilizam como base de formação para seus membros. O Rito Escocês Retificado, adicionado a estes dois últimos graus, compõem o chamado Regime Escocês Retificado, um sistema maior composto de subsistemas.
O RER também pode ser visto, e estruturalmente melhor entendido, pelos seus corpos. Os três primeiros graus estão reunidos na chamada “Maçonaria Azul”, as tradicionais “lojas simbólicas” da modernidade. O quarto grau encontra-se na chamada "Loja de Mestres Escoceses de Santo André", onde somente este grau é trabalhado, embora nele aconteçam diversas atividades pertinentes. Este corpo é conhecido como “Maçonaria Verde”, e é a joia do rito Escocês Retificado. É a máxima síntese da maçonaria cristã, resultado de um extenso processo de reunião de princípios e ensinamentos da tradição que formulou a sociedade ocidental.
Os últimos dois graus são a dita “Maçonaria Branca”, pouquíssimo operada e quase desconhecida nas américas. O grau de Escudeiro Noviço é eminentemente um grau transitório. Neste estágio o membro está sob o mais rigoroso julgamento e instrução para sua eventual admissão ao estado de maior dignidade da ordem, o grau e a própria Ordem dos Cavaleiros Benfeitores da Cidade Santa (CBCS). Um membro não aprovado é revogado em sua prerrogativa de Escudeiro Noviço e restituído ao grau de Mestre Escocês de Santo André.
As lojas azuis são conhecidas como a “Ordem Externa”, as lojas verdes como “Ordem Intermediária” e os capítulos como “Ordem Interna”. De fato, há um processo onde se trabalha em direção ao aprimoramento cada vez mais profundo do Ser. O grau de CBCS é, historicamente, tido como a coroa da maçonaria, depósito das três grandes iniciações ocidentais.
O RER não utiliza o termo “Iniciação”, pois entende isto como um processo absolutamente íntimo e profundo, não sendo capaz de ser produzido por outros homens em qualquer ser. Podem os maçons, no entanto, estabelecerem condições ideais para que o indivíduo tenha seu encontro providencial. Neste sentido, seus membros são sempre “recebidos” nos mistérios sublimes da ordem. No passado eram praticados outros dois graus, pertencentes à Ordem Silenciosa, descontinuados pelo Convento de Wilhelmsbad, em 1782.